quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O que será do seu cão...


Foto: Pedro Leal Gonçalves


O que será do seu cão...


Quando idoso se for
o que será do seu cão,
onde chorará sua dor
aquele cão seu irmão?

Que casa o acolherá,
que carro o matará?

Quem os dois juntará,
a mesma sepultura
quem depois lha dará?


José Rodrigues Dias, 2014-10-29

domingo, 26 de outubro de 2014

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A rede e o mar


"A rede e o mar"

Foto de Aragão Humberto, fotógrafo amador brasileiro premiado internacionalmente, Pai do Professor Humberto de Aragão (São Paulo).
Pode ser vista no site:





A rede e o mar


Não é peixe tudo que vem à rede
mas peixe à rede vem e se enleia,
nem poema é tudo quanto se leia
como por aqui se pode ver, vede!

Se a fome a casa ronda e a gente,
conserta o barco, faz tu um barco,
tece a rede, olha, vê que se sente
um ser ser livre, expoente, marco!

Põe a rede no barco, barco no mar,
no mar a rede, espera a meditar,
de versos uma rede cheia se fará,

de peixes teus a fome se matará
dentro de tua casa, dentro de ti,
sem mais choro e ainda se sorri!


José Rodrigues Dias, 2014-10-22

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Mulher da noite




Mulher da noite


A cidade passa indiferente por ti,
És agora mais uma no corredor frio da noite,
Às vezes já do próprio dia na incerteza de cada noite,
E homens de olhar perdido no andar cinzento
Tomam-te como se tomassem um castelo,
Mas não é a ti que tomam os homens…
Eu sei que tu apagas a luz, a tua luz,
E escondes o coração na penumbra do leito
E assim o teu castelo fica a salvo,
Que isso a vida logo to ensinou…
Aliás, nem serão homens
Os que te tomam,
Serão apenas corpos, pedaços de corpos
Que no teu corpo entre gemidos e talvez risos,
Ou talvez choros,
(Choros que tu, 
Acendendo a luz por momentos,
Sossegas então em colo e peito de mulher),
Os que te tomam serão, digo eu, 
Os que querem esconder-se
Dos infortúnios dos combates dos homens
Na transitória ilusão de vitória…

Depois, mulher da noite,
Depois tu voltas a acender a luz
E já não és corpo, serás filha, serás mãe,
És mulher entre gente talvez vendida da cidade…
  

José Rodrigues Dias, Entre o Sono e o Sonho, Antologia de Poesia Contemporânea, vol. III, p. 275, Chiado Editora, 2012.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Saramago




Saramago


No dia seguinte ninguém morreu, disseste,
Livro abrindo;
Morte em intermitência…
Hoje, disseram que morreste,
Notícias abrindo;
Morte em permanência…

Agora, José, que morreste,
(Morreste?)
Que outro mar passaste,
Como que a caminho de outra Lanzarote,
Diz, José, há vida em morte
Como há morte em vida sem sorte?
Ou sem norte?
Há intermitências de vida em morte?
Há dor e amor?
Há Criador?

Morto vivo, renasceste depois de morto.
Hoje, morto?
Morto, manter-te-ás vivo, morto!


J. Rodrigues Dias, Poiesis, Antologia de Poesia e Prosa Poética Portuguesa Contemporânea, Vol. XIX,  Editorial Minerva, 2010. 

segunda-feira, 3 de março de 2014

Cerimónia de Entrega do Prémio Vergílio Ferreira 2014


Professora Ofélia Paiva Monteiro


Cerimónia de Entrega do Prémio Vergílio Ferreira 2014


Na próxima segunda-feira, dia 3 de março, pelas 15 horas, tem lugar na Sala dos Atos da Universidade de Évora, no Colégio do Espírito Santo, a cerimónia de entrega do Prémio Vergílio Ferreira. Este ano o galardão distingue Ofélia Paiva Monteiro, Professora Catedrática aposentada de Literaturas Francesa e Portuguesa da Universidade de Coimbra.

O júri decidiu atribuir o prémio a Ofélia Paiva Monteiro pelo seu “perfil de grande investigadora e de autora que brilha pela profundidade e subtileza especulativa na sua vasta obra ensaística, que incide particularmente em Almeida Garrett, mas também em outros autores marcantes da literatura portuguesa.”

O Prémio Vergílio Ferreira, instituído pela Universidade de Évora em 1997, destina-se a galardoar anualmente o conjunto da obra literária de um autor de língua portuguesa relevante no âmbito da narrativa e/ou ensaio. Um prémio que pretende homenagear o escritor de “Aparição”, que entre 1945 e 1958 lecionou no Liceu de Évora, período da sua vida que acabaria por influenciar a sua obra


Galardoados com o Prémio Vergílio Ferreira

Maria Velho da Costa (1997); Maria Judite de Carvalho (1998); Mia Couto (1999); Almeida Faria (2000); Eduardo Lourenço (2001): Óscar Lopes (2002); Manuel de Aguiar e Silva (2003); Agustina Bessa-Luís (2004); Manuel Gusmão (2005); Fernando Guimarães (2006); Vasco Graça Moura (2007); Mário Cláudio (2008); Mário de Carvalho (2009); Luísa Dacosta (2010); Maria Alzira Seixo (2011); José Gil (2012); Hélia Correia (2013).

Fonte: UELINE

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Prémio internacional




Prémio internacional

(na área do Controlo de Qualidade e da Fiabilidade)


Emerald Literati Network

2010 Awards for Excellence


Um dos três melhores "papers" publicados a nível mundial, em 2009, pela revista 

International Journal of Quality & Reliability Management.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Prémio Vergílio Ferreira, 2014


Professora Ofélia Paiva Monteiro.


O Prémio Vergílio Ferreira 2014 
foi atribuído a 
Ofélia Paiva Monteiro. 


Este galardão incide sobre o conjunto da obra de um autor que se tenha distinguido nos domínios da ficção ou do ensaio.

O júri decidiu atribuir o prémio pelo “perfil de grande investigadora e de autora que brilha pela profundidade e subtileza especulativa na sua vasta obra ensaística, que incide particularmente em Almeida Garrett, mas também em outros autores marcantes da literatura portuguesa.”

Ofélia Paiva Monteiro é Professora Catedrática aposentada da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde formou várias gerações de estudantes. A entrega do Prémio, realiza-se este ano a 3 de março, pelas 15 horas, na Sala dos Atos da Universidade de Évora (Colégio do Espírito Santo).


Instituído pela Universidade de Évora em 1997, o prémio Vergílio Ferreira foi atribuído pela primeira vez a Maria Velho da Costa, a que se seguiram, entre outros, Mia Couto, Almeida Faria, Eduardo Lourenço, Agustina Bessa Luís, Vasco Graça Moura, Mário Cláudio, Luísa Dacosta, José Gil e Hélia Correia.


Fonte: UELine, aqui.


Muitos parabéns à senhora Professora Ofélia Paiva Monteiro.


José Rodrigues Dias, 2014-02-13