sábado, 6 de junho de 2015

Este silêncio que se desprende


Mosteiro da Batalha



Este silêncio que se desprende


Este silêncio que se desprende
da interioridade
de luz suave
em que se guarda o tempo...

O mistério devagar se apreende
da palavra 
que se trabalha...

Nos fala
este silêncio
nos cala!


José Rodrigues Dias, 2015-01-20

6 comentários:

  1. Parece que o comentário não seguiu.
    Dizia que este poema está muito adequado
    ao Mosteiro da Batalha.
    Gostei muito.
    Saudoso abraço
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Irene, o poema foi feito a partir do "ambiente" sentido e, em particular, dessa fotografia que, então, tirei. Há mais nove.
      Obrigado pela visita e pelo comentário.
      José Rodrigues Dias

      Eliminar
  2. eloquente silêncio... que alimenta o fogo da palavra poética.

    belíssimo poema.

    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Amigo, pela palavra presente. Abraço.

      Eliminar
  3. Interioridade, luz, silêncio... transportam mistérios que a palavra do poeta aqui tão sabiamente trabalha.
    Poema feito de autenticidade e beleza!

    Abraço
    M. Céu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigado pela presença e pelas palavras, M. Céu. Abraço.

      Eliminar