segunda-feira, 28 de março de 2016

Páscoa, celebração



Páscoa, celebração


Por entre restos um pequenino pinheiro
onde outro tombou,
por entre nuvens
Sol,
por entre ruínas
flores,
Primavera…

Harmonia, balança, beleza,
matizada sinfonia,
liberdade, o cante, a canção…

Celebração da vida e da natureza
com o borrego de Páscoa
no campo
em renovação
neste Alentejo sem dimensão…

2013-04-01


José Rodrigues Dias, Tons e Sons de Primavera(s), Ed. Forinfor, 2016

domingo, 27 de março de 2016

Páscoa


Páscoa


A Luz irrompe das trevas,
da terra funda
que foi túmulo,
porque a Luz é mais forte
que a morte
e o que a morte inunda…

A Luz rompe a pedra
que a cobre,
irrompe em novo dia
e se eleva…

O pássaro que na noite jazia
no jardim sob um manto de folhas
pressente a Luz
pelo despertar da manhã,
acorda o Sol
e canta a Primavera
e a harmonia!

E canta, canta,
canta
para todos nós!

Passagem a outro tempo
de recriação,

como Luz
em ovo
que se abre
em movimento

(de Alfa para Ómega),

sem sombras os olhares,
os olhos límpidos
de milagres
como a Luz…

2014-04-20


José Rodrigues Dias, Tons e Sons de Primavera(s), Forinfor, 2016.

sábado, 26 de março de 2016

Sabbatum Sanctum


Sabbatum Sanctum


Dia de espera,
espera
de esperança
de vida
de túmulo nascida…

Quem espera
alcança…

Dia da Senhora da Solidão,
filho no chão,
irmão,
tempo de solidão…

Por que tanto se desespera,
tanta guerra,
irmão?

Tempo de espera,
de solidão...

2014-04-19


José Rodrigues Dias, Tons e Sons de Primavera(s), Forinfor, 2016

sexta-feira, 25 de março de 2016

Sexta-Feira Santa


Sexta-Feira Santa


Crucificado,
traído,
Cristo,
hoje morto…

A morte,
momento de passagem,
três dias,
Páscoa,
uma imagem...

A vida,
todo o outro tempo…

Aqui, noutro império,
crucificados,
traídos,
mutilados,
sem quase próprios pecados,
durante quanto tempo
a passagem?


2014-04-18


José Rodrigues Dias, Tons e Sons de Primavera(s), Forinfor, 2016.

quinta-feira, 24 de março de 2016

Quinta-Feira Santa


Quinta-Feira Santa


Chegou a noite, cansado,
grande já o dia, Sol alto e grande,
trabalho variado, queimado,
meados de Abril…

Morreu Gabriel García Márquez,
dia de solidão,
Cem Anos de Solidão

Jorge Amado, do mesmo lado do mar,
já tinha morrido…

Cristo morre amanhã
traído,
ceia hoje com os discípulos
em partilha:

 tomai e comei…,
bebei…,

o meu corpo…,
o meu sangue…,

em memória de mim…

 Entretanto, longe, lá muito longe,
é descoberto talvez um gémeo,
ou talvez um vago primo,
desta Terra que dura pisamos,
pó e barro,
água e pedras,
quase do mesmo tamanho,
chamaram-lhe Kepler,
Kepler qualquer coisa,
pode ter nascido planeta vivo…

(Da vida, quem sabe o quê?)

Morreu hoje Gabriel García Márquez…

Cristo morre amanhã, Sexta-Feira Santa.
Ressuscita ao terceiro dia,
no dia de Páscoa,
Primavera…

2014-04-17


José Rodrigues Dias, Tons e Sons de Primavera(s), 2016

domingo, 20 de março de 2016

Equinócio da Primavera




Equinócio da Primavera

  
Maiores vieram as sombras, os negros e as noites
envolvendo as coisas, os homens e a própria luz,
o olhar da gente caído de frio,
cinzento o tempo de solstício.
Assim era!
E assim foi!

Mas, depois, com o tempo do Sol
faz-se um novo tempo,
o dia mais dia,
a noite menos noite…

Os rebentos despertam
com a chegada da passarada
e a manhã apressa-se.

Demora-se a tardinha
no caminho de um olhar
mais caloroso da gente…

2012-03-20


José Rodrigues Dias, Tons e Sons de Primavera(s), 
Forinfor, Março, 2016.

terça-feira, 8 de março de 2016

Mulher


Museu do Aljube, 
Resistência e Liberdade, Lisboa.


Mulher


Como seria inteira 
no correr do tempo a história
se a mulher ausente?...

A mulher resistente, 
vigilante, constante, memória,
mulher companheira!...

Inteira só a história
com a mulher e companheira
e é com a memória!...


José Rodrigues Dias, 2016-08-08