sábado, 29 de abril de 2017

As amêndoas...





As amêndoas...


As doces e as amargas,
as amêndoas, como mel e fel,
como a luz e as trevas...

Como o azul azul
do céu seguindo os ventos
e um negro negro...

Provada a amarga
que bem, que bem que sabe
uma doce docinha...

Como o homem caído
revirando-se do tombo, dos tombos,
do chão a levantar-se...


José Rodrigues Dias, 2017-04-29

Sem comentários:

Enviar um comentário