domingo, 23 de julho de 2017

Da luz um gole




Da luz um gole


Na luz tépida
a água brilha, pacífica,
mui tranquila...

Nada de vento
nem de lixo,
apenas silêncio...

Um peixe sobe 
e sorve 
da luz um gole...


José Rodrigues Dias, 2017-07-23


4 comentários:

  1. Com poucas palavras se faz a poesia. Creio mesmo que a poesia tende para o silêncio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Manuel da Mata.
      Talvez tenda, talvez!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Rogério Pereira, obrigado.

      Mesmo o mar suaviza
      quando todo se arde...

      Eliminar