terça-feira, 12 de setembro de 2017

De seiva, de sangue





De seiva, de sangue


De um braço de árvore serrado
escorrem lágrimas, densas, de seiva, de sangue,
como de um coração amputado...


José Rodrigues Dias, 2017-09-12

Sem comentários:

Enviar um comentário