sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Chove, vê tu




Chove, vê tu


Chove, carregado chegou o céu:
barafusta a mão molhada do pedreiro da cidade
e gretado sorri o rosto do campo...

Vê tu: há sempre alguém 
que diz que sim
e alguém que diz que não...

Experimentado,
sinto que há sempre das coisas
um e outro lado...

E penso no integral das pingas de água
fazendo poças e charcas e barragens enormes, cheias,
e nas torneiras secas sem gota de água...

A chuva fonte de Vida,
a Natureza fazendo poemas de divina criação,
nós que sim e que não...


José Rodrigues Dias, 2018-01-05

Sem comentários:

Enviar um comentário