segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Da fogueira à Paz




Da fogueira à Paz


Ardem toros grossos, trapos secos, no chão da praça:
aquecem-se os corpos do frio na noite de fim de ano,
lavam-se os espíritos no fogo que purifica da desgraça...

Talvez ritual antigo de iniciação,
transição de ano, do velho para o novo,
a esperança enchendo o coração...

Imaculada se refaz
hoje de novo, aqui,
essa palavra da Paz...


José Rodrigues Dias, 2018-01-01

2 comentários:

  1. Bom dia. Visitando e amando ler a sua maravilhosa poesia e outras ilustres publicações.
    .
    Poema: --- Sem ti ... Melancólico Castigo ---
    .
    Continuação de um Ano Nove feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Ricardo.
      Voltarei a visitá-lo.
      Ano próspero!

      Eliminar