sábado, 17 de março de 2018

Oh!, o chão mosaico da fraternidade




Oh!, o chão mosaico da fraternidade


Por balas e por bombas, pelo mal, os corpos tombados,
mortos, eram mães, crianças, eram gente, gente como nós!,
e corpos vivem mortos por mãos violentados, e violados...

A liberdade cai então morta
mas de imediato revive e do chão se levanta
na gente que logo se revolta...

E as raízes pela terra 
se espalham, livres as crianças florescem,
até haver nova guerra...

Bem e mal, mal e bem,
drama a guerra sem fim, abéis e cains
mal e bem, bem e mal...

Branco e negro, negro e branco,
oh!, o chão mosaico da fraternidade,
negro e branco, branco e negro...


José Rodrigues Dias, 2018-03-16

Sem comentários:

Enviar um comentário