sábado, 21 de abril de 2018

Abril




Abril


Das águas de Abril escuras
nascem puras flores brancas.
Olá, diz a papoila vermelha...


José Rodrigues Dias, 2018-04-21

sexta-feira, 20 de abril de 2018

De outro o caminho seria




De outro o caminho seria


Ir às cavalitas fácil seria
mas o caminho o mesmo encanto não teria,
de outro o caminho seria...

Excepto
se o outro
escravo...


José Rodrigues Dias, 2018-04-20

quinta-feira, 19 de abril de 2018

A Primavera nascendo do chão




A Primavera nascendo do chão


Braços carregados de flores
debruçados sobre o chão
como se em ritual de oração...

Braços em ramos curvos, não são rosas,
não sei o que são, são brancas e são um montão,
são como a Primavera nascendo do chão...


José Rodrigues Dias, 2018-04-19

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Parede da caverna de Platão




Parede da caverna de Platão


Como se na parede da caverna de Platão,
na superfície tranquila da água o reflexo, no outro lado,
do brilho do Sol, nuvens e rastos de avião...


José Rodrigues Dias, 2018-04-16

terça-feira, 17 de abril de 2018

Talvez seja um beijo




Talvez seja um beijo


Talvez seja um beijo,
talvez um abraço, talvez um olhar,
talvez seja só desejo...


José Rodrigues Dias, 2018-04-13

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Dos figos e dos melros




Dos figos e dos melros


Lampos, estão os figos a crescer
a uma janela do castelo.
Que bico de melro se irá derreter?


José Rodrigues Dias, 2018-04-13

domingo, 15 de abril de 2018

Bola, bomba e flor





Bola, bomba e flor


Não sei o que lá se passa,
se morta uma flor já renasce 
ou uma bomba outro mata...

Não sei que coisa lá se passa
naquele mundo de miséria e guerra.
Hoje, aqui é só bola que salta...

Aqui, só a bola salta:
no golo o pontapé certeiro
ou bola que ressalta?

De flores, de bombas,
de guerra, da guerra verdadeira,
que interessa à malta?


José Rodrigues Dias, 2018-04-15

sábado, 14 de abril de 2018

As armas e as flores




As armas e as flores


Uma qualquer arma
a palavra cala
se sua garganta mata...

De vergonha
e de medo as flores
entristecem...


José Rodrigues Dias, 2018-04-14

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Veneza, esquinas de água




Veneza, esquinas de água


Quadradas as esquinas de água,
portas do rico casario abertas para os canais
e barcos a caminhar sem mágoa...


José Rodrigues Dias, 2018-04-13

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Os peixes, os homens e o chumbo




Os peixes, os homens e o chumbo


Peixes, olhai de olhos bem abertos
que os mares deste mundo
estão repletos de laços encobertos...

Estrondos com dores vindos do céu, ouvi!,
montes de plásticos parecendo fontes de pão, olhai!,
horrores negros escondidos no mar, senti!... 

Então, cuidado,
céus, terras e mares
feitos chumbo!


José Rodrigues Dias, 2018-04-12