terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Notas do Autor

 



Notas do Autor

 

 

Primeiro dia deste novo ano de 2021, ano dos setenta anos, se a Vida, a ela o autor grato, o permitir. Caminhos cheios de actividades variegadas, olhares tensos e de sorrisos, ganhando o pão, dia a dia, vindo lá de longe, as origens entranhadas,  caminhando sempre, o olhar levantado, dos calos do trabalho altivo, livre.

 

Aqui chegado, olhando o tempo, este o décimo primeiro ano de Poesia publicada, de ser Aprendiz de Poeta, aprendiz eterno dos homens, dos caminhos, da Vida.

 

Este o nono livro de uma série de dez, incluindo os poemas escritos ao longo do primeiro semestre de 2016, que o autor decidiu publicar, por semestres,  contemplando o período de 2012 a 2016, inclusive, com o título genérico Diário Poético (2012–2016).

 

O Livro um, constituído por 154 poemas, foi publicado em 2018. Os sete seguintes em 2020 e este no início de 2021. O Livro dois inclui 156 poemas, o Livro três, 173, o Livro quatro,  179, o Livro cinco, 168, o Livro seis, 103, o Livro sete, 110, o Livro oito, 244, incluindo este Livro nove 139, todos os poemas apresentados por ordem cronológica, num total de 1.426 poemas nestes primeiros nove volumes.

Este Livro nove é o vigésimo quinto livro de Poesia do autor (o primeiro em 2010, o segundo em 2011, o terceiro em 2015, dois em 2016, dois em 2017, três em 2018, quatro em 2019, dez em 2020 e este já em 2021).

 

Dos 139 poemas que constituem este volume, 48 já antes haviam sido publicados, estando devidamente referenciados através de um índice.

 

Não se pretendeu introduzir nos poemas já publicados qualquer alteração, salvo algum pequeno pormenor.

 

Escritos há uns quatro ou cinco anos, os poemas ainda não publicados em livro foram agora aqui revistos, não tendo sido, porém, alterados na sua essência, sofrendo apenas uma ou outra pequena modificação. Quis o autor mantê-los como nasceram, no seu próprio contexto. Por outro lado, não foi excluído, tal como nos livros anteriores desta e de outras séries, qualquer poema encontrado, ficando, assim, o olhar integral do autor no período respectivo. Contudo, é possível que algum poema, por não encontrado, tenha sido omitido.

 

Diversos poemas foram sendo publicados no blog de Poesia do autor, Traçados sobre nós, iniciado em  10 de Novembro

de 2011 e que se mantém até hoje, com uma janela aberta para o Facebook, sentindo e respirando outros ares.

 

Exceptuando os dois primeiros livros, é também do autor todo o trabalho de elaboração deste Livro nove, excepto o acto de impressão. Assim, todas as falhas são da sua responsabilidade. Se algum mérito houver, será fruto dos caminhos, diversos, alguns longos, pelo autor percorridos. Juiz, o leitor!

 

Este Livro nove é o primeiro publicado em 2021. É desejo do autor publicar outros, bastantes mais, ousando, deixando registada em livros a sua escrita diarística ao longo destes últimos dez ou onze anos, assim organizados:

 

a)      o Livro dez, o último deste Diário Poético (2012-2016);

b)     dois livros com os poemas ainda não publicados de 2017, integralmente escritos em tercetos simétricos (o segundo verso como eixo de uma simetria visual, geométrica), relativos aos dois últimos trimestres desse ano (os outros dois já publicados, em 2017 e 2018);

c)      três livros, também em tercetos simétricos, relativos aos três últimos trimestres de 2018 (o do primeiro trimestre já publicado, em 2019);

d)     três livros, igualmente em tercetos simétricos, relativos aos três últimos trimestres de 2019 (o do primeiro trimestre já publicado, em 2019);

e)      um livro com os poemas escritos em 2020, também em tercetos simétricos e ainda não publicados;

f)      um livro com os poemas anteriores a 2012 e ainda não publicados;

g)      quatro outros livros, temáticos, com selecção de poemas: um com referências  à sua origem nordestina, a pedra moldando o destino; outro relativo a Évora e ao Alentejo, terra de adopção; outro com poemas tocando temas científicos; e um quarto com poemas envolvendo algum simbolismo esotérico.

 

Seria, assim, neste ano de 2021, como que uma simbólica comemoração dos setenta  anos de vida do autor, ele que nunca comemorou festivamente o seu aniversário, depois de uma vida dedicada a fórmulas e a números, a computadores (hardware e software), ao ensino e à investigação, com traços nestas áreas reconhecidos nacional e internacionalmente, acrescentando-lhe agora este novo caminho, inesperado, tardego, da Poesia.

 

Com uma centena de trabalhos científicos publicados, em Portugal e no estrangeiro, com milhares e milhares de linhas de código de computadores escritas, com este Livro nove o número de poemas diferentes publicados (em livros) atinge já, em números redondos, os 2.360.

 

De números deverá saber o autor, referindo, talvez por isso, tantos! Pela quantidade, e por assim cruamente a referir, que seja perdoado. Da qualidade dos poemas saberá o leitor.

 

 

José Rodrigues Dias, 2021-01-01



* * *


Jrd, 2021-01-12


Facebook:


https://www.facebook.com/jose.rodriguesdias/


Sem comentários:

Publicar um comentário